TDAH e enxaqueca poderiam estar correlacionados?

avaliacoes reabilitacoes neuropsicologicas 113

Relacionamentos entre distúrbios neurológicos e psiquiátricos: TDAH e enxaqueca poderiam estar correlacionados? (25 out 2018)

 

Um estudo publicado na BMC Neurology pelo Dr. Thomas Hansen avaliou mais de 25.000 pessoas para TDAH e enxaqueca. Esta é a primeira vez que uma forte associação entre sintomas de TDAH e enxaqueca  foi descoberta em uma população adulta.

 

Um estudo recente no “Science by The Brainstorm Consortium” avaliou a correlação genética entre características neurológicas e psiquiátricas. Os resultados mostraram que existe uma pequena, mas significativa, correlação genética entre a enxaqueca e o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade). No entanto, a correlação sintomática desses distúrbios nunca foi realmente observada em um adulto.

 

Como o TDAH tem sido observado principalmente em crianças e adolescentes, a maioria das pesquisas sobre TDAH e enxaqueca tem se concentrado nesses grupos. Por muitos anos, acreditamos que os sintomas do TDAH desaparecem com a idade. No entanto, durante os últimos anos, foi estabelecido que o TDAH em adultos é um fenótipo real e prevalente. Mas a observância muito menor do TDAH em adultos é causada pela capacidade dos adultos de se adaptarem – tanto a si mesmos quanto ao ambiente.

Com a idade, é provável que os adultos com TDAH aprendam a lidar com seus sintomas, e é mais provável que selecionem empregos e ambientes onde a doença seja aceita ou possa permanecer oculta. Em outras palavras, eles têm o poder de moldar suas vidas de uma maneira que crianças e adolescentes não conseguem no sistema escolar. Portanto, o TDAH tem sido muito mais evidente em crianças e, por essa razão, nenhum estudo com um grande grupo de adultos com TDAH está disponível.

avaliacoes reabilitacoes neuropsicologicas 114

Para coletar dados, os pesquisadores realizaram avaliações individuais dos sintomas de TDAH e enxaqueca de 26.456 participantes no estudo do dador de sangue na Dinamarca. Antes da doação de sangue, os participantes responderam a dois questionários. O primeiro foi o Questionário de Triagem para Enxaqueca para avaliar a presença de enxaqueca. E outro Questionário para avaliar os sintomas de TDAH. Com esses dados, eles foram capazes de concluir que havia uma associação entre a ocorrência de TDAH e enxaqueca em adultos que eram saudáveis. Um achado interessante foi que adultos com maior sintomatologia de TDAH eram mais propensos a experimentar enxaqueca com distúrbios visuais (também conhecidos como aura) em comparação com a enxaqueca sem distúrbios visuais.

 

Ao obter essa coorte muito grande e única, eles descobriram que há uma forte correlação entre o TDAH e a enxaqueca, embora não tenha sido observada em estudos anteriores de coortes de crianças. Observamos também que essa comorbidade foi particularmente pronunciada em indivíduos entre 45 e 55 anos de idade. Esses achados sugerem que os sintomas de TDAH ou enxaqueca mudam ao longo da vida. Outra possibilidade pode ser que exista uma diferença entre indivíduos diagnosticados como crianças e indivíduos diagnosticados como adultos.

Embora o Dr. Hansen tenha estabelecido uma associação entre TDAH  e enxaqueca, os resultados resultaram em mais perguntas. Estudos futuros terão como objetivo elucidar quais fatores genéticos e ambientais contribuem para a comorbidade da TDAH enxaqueca.