Quando a perda de memória se torna um problema e o que fazer

avaliacoes reabilitacoes neuropsicologicas 185

Quando a perda de memória se torna um problema e o que fazer (21 dez 2019) 

Para muitas pessoas a perda de memória pode parecer um detalhe sem importância ou algo comum com o avanço da idade. Esquecer um número de telefone, um nome de rua, ou até mesmo uma data importante.

Contudo, esse tipo de distúrbio pode indicar problemas bem mais graves. E o que era considerado inofensivo, pode prejudicar vários aspectos da vida de uma pessoa.

Continue lendo esse post e descubra quando a perda de memória deve ser considerada um problema e o que pode fazer para combater o esquecimento.

A perda de memória como sinal de doenças mais graves

A perda de memória é um dos sinais mais comuns de doenças neurodegenerativas mais graves, como o Alzheimer. Além disso, ela também pode ser um sintoma de distúrbios como depressão, ansiedade e até mesmo da síndrome de síndrome de Burnout.

Isso porque o esgotamento físico e mental está diretamente associado as falhas das funções cognitivas. Sabe quando você exigiu demais do seu corpo e sente uma queda na pressão arterial? Com o cérebro pode acontecer a mesma coisa.

Quando ele está sobrecarregado pelo estresse, excesso de trabalho ou falta de descanso, por exemplo, ele pode simplesmente falhar em alguns aspectos. E a perda de memória é um sinal de esgotamento.

Já no caso das doenças neurodegenerativa, esse tipo de sintoma reflete diretamente a degradação do cérebro. Ele pode começar de maneira sutil, como a pessoa que esquece constantemente um endereço que visita frequentemente. Mas em pouco tempo esse quadro pode se agravar, fazendo que o indivíduo esqueça de pessoas importantes do seu dia a dia.

Por conta disso, quando a perda de memória se torna algo cotidiano, é necessário dar mais atenção ao fato.

Quais as formas de tratar a perda de memória?

A perda de memória, seja por doenças neurodegenerativas ou por distúrbios como a    Síndrome de Burnout, pode ser tratada de diferentes formas. Abaixo separamos algumas delas, confira:

·      Realize testes e avaliações

Uma das maneiras de tratar a perda de memória é identificando o que pode estar causando esse problema.

E não há forma melhor de fazer isso do que realizando alguns testes e avaliações específicos, como é o caso da avaliação neuropsicológica e o mini exame mental. Por meio deles é possível obter um panorama mais completo sobre suas funções cognitivas.

Dessa forma, você terá uma percepção melhor sobre como elas estão sendo afetadas e até mesmo as consequências futuras. E, com base nisso, poderá buscar tratamentos mais assertivos.

·      Exercícios mentais

Assim como o seu corpo precisa de exercícios para se manter forte, o cérebro também necessita desse tipo de estímulo. Atividades como jogos de números, memorização e até mesmo de adivinhação são boas formas de estimular o órgão.

Você também deve evitar deixar tudo no automático. Senhas, e-mails, ligações, automatizar esse tipo de coisa só afeta a funcionalidade do seu cérebro.

·      Hábitos saudáveis

Sim, manter hábitos saudáveis como comer bem também interfere na memória. Por conta disso o ideal é optar por um estilo de vida mais saudável, baseado em exercícios, alimentos naturais e atividades para trazer equilíbrio mental e físico.

Agora que você já sabe como a perda de memória pode se tornar um problema sério, não deixe de procurar ajuda de um especialista. Quanto antes o seu diagnóstico for feito, mais chances de sucesso o tratamento terá.

Nós, da empresa Medical Tecnica somos especialistas em testes neuropsicológicos computadorizados. Temos plataformas computadorizadas com baterias de testes neuropsicológicos para detectar Alzheimer, TDAH, Discalculia, dislexia etc. Até oferecemos programas de reabilitação e simulação para CCL, TDAH, discalculia, dislexia, concentração etc.

Entre em contato para marcar uma apresentação online (20 min) e saiba mais sobre nossa plataforma neuropsicológica computadorizada.